segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

...As dores que dóem mais...

Durante muito tempo eu achava que peito aberto e vontade seriam capazes de mudar o mundo. Mais do que isso, mudar determinadas pessoas.
Hoje eu sei que não. E é a certeza que me mata. Como se você estivesse saindo de dentro da água pra buscar o ar, e no instante em que tenta respirar, uma mão vem e te empurra novamente.
Parece trágico, concordam?
É, faz muitos anos que me empurram constantemente toda vez que eu busco o ar. Aliás faz muitos anos que me cortaram as asas. E talvez, durante centenas de vezes elas tivessem tentado se regenerar. Mas eram cortadas novamente.
Eu cometi erros enormes na tentativa de viver coisa absurdamente simples, que qualquer outra pessoa na minha idade vivia. E fiz isso desde muito cedo.
Seria cômico se não fosse trágico. Esqueceram de novo o quão bem escolada eu fui. E não me refiro a escola propriamente dita, mas á escola da vida mesmo.
Infelizmente algumas ofensas o tempo não apaga mais. As maiores decepções, cicatrizam, mas lógicamente deixam marcas, algumas grandes demais para passarem-se desapercebidas.
Ontem eu escutei algumas palavras de uma das pessoas que eu julgo mais importantes na minha vida. Por muitas vezes eu me espelhei e segui aquilo que ele achava correto. Bons caminhos, seguros, sem vida, e roteados por previsibilidade. E por muitas vezes seguir as convicções dessa pessoa, me tornava uma pessoa que definitivamente eu não queria ser.
Mas eu não tinha escolha! Tá vendo quando eu disse que era uma tragédia! (Pausa no assunto! Eu estava aqui sentada escrevendo, janela aberta, quando eu vi uma coisa passar pela minha janela e fazer um barulho enorme la embaixo! Nossa! Corri achando que alguém tinha se jogado, cheguei ali, era o pedreiro jogando os sacos de cimento lá de cima O_o..ufa! )
Continuando...eu avisei que era uma tragédia!
Quem me conhece sabe que, eu vivo rindo. Sou a pessoa mais positiva da face da terra. Só quem tem muito acesso á minha pessoa sabe dizer quando eu não tô legal. Pois é, e o que essas pessoas diriam, essas que acham muito linda a minha alegria de viver, se descobrissem tudo o que eu passo/passei? Que em muitas vezes, eu tenho tanta vontade de chorar, que o sorriso que eu dou pra alegrar á alguém, não alegra a mim mesma?
Cheguei num dividor de águas dos piores hoje. Tudo que eu evitei a vida inteira. Escolher entre eu, entre a minha saúde mental, entra as minhas convicções, e as do meu pai.
Falar isso, me traz lágrimas aos olhos, mas é a pura verdade. Eu fui criada em disciplina militar, fui criada no NAO PODE, NÃO DEVE, ESTÁ ERRADO, ESTÁ CERTO, É BOM, É MAL, É BONITO, É FEIO. Conceitos pré formulados á partir de uma vivência que não é a minha. E sou obrigada, a adotá-los como meus, sem ter a vivência pra poder distinguí-los, tudo isso pra fazer os outros felizes, tudo isso pra não causar guerras...
Falei demais hoje! O coração dói!
Ontem e hoje eu escutei três coisas que não vão ser esquecidas tão fácilmente:
"A porta da minha casa estará fechada para você"
"Você é egoísta"
"Estou cansado de ser palhaço de vadio"
Jóia. Assimilado. Jogado no lixo."
Vamos brincar de verdades hoje...cada um diz a sua!
(Continua...)

2 comentários:

Renato Orlandi disse...

Uau. Isso é grave realmente. E muito dif[icil com ctz. Eu sei bem como é ter a pessoa em que vc mais confia nesse mundo te dizendo coisas horríveis. Foi asim qdo eu assumi minha sexualidade em casa. E te digo, isso pelo que está passando é muito parecido. O que fazer? Isso depende de vc. Não deixar a frustração te abalar, não deixar de ficar triste, decepcionada, não deixar se ferir com as palavras? Não. Isso é quase impossível. Tentar fingir que é maior que tudo isso e que o tempo dos seus pais eram outros e isso justifica suas atitudes? É muito fácil eximir todos da culpa. Tentar aceitar a opinião dele e continuar ama-lo (impossível não continuar)? Acredite, na cabeça dele foi o melhor, não que o melhor seja ver vc aprender sozinha com suas escolhas, mas que o melhor seja evitar a possibilidade de sofrimento futuro, mesmo as custas de sofrimento presente. Se eu pudesse te dar um conselho diria: desafabe! Conte comigo!

Bia Maia disse...

Minha linda...

Aprendi com a vida e com o tempo que não vamos conseguir mudar os outros nem as situaçõaes...então, para sermos mesmo felizes, devemos MUDAR A NÓS MESMOS!

MUDE....com certeza, será mais feliz!

Um beijo com carinho e respeito ...

Bia