segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Sonhos…

DSCF1565-2

 

 

 

 

 

Pra quem vive sonhando acordada, não há nada mais difícil que pôr os pés no chão. É a eterna luta de aprender a conciliar nossos opostos. O que realmente é concreto, e o que se trata apenas de mais um amontoado de abstratos. Saber o que realmente é possível, e o que é puro sonho. Difícil? Muito. Muitíssimo.

Nessa hora, sempre acaba ganhando quem é mais ponderado. Quem é mais moderado. Quem é mais sensato, e acrescento: Quem acredita em si mesmo (Parece livro de auto ajuda, mas é a pura verdade)

A realidade sem sonho não teria a menor graça. Não poder almejar, vislumbrar e torcer pra todos os desejos se tornarem realidade. Pois é, o contrário também vale! Sonhos são definitivamente melhores quando tem uma certa realidade imbutida.

É engraçado como quando nos tornamos mais maduros, conseguimos enxergar com exatidão onde deixamos passar a sensatez, e onde deixamos faltar o sonho. Conseguimos localizar o momento chave de cada reviravolta da nossa estória, embora muitas vezes não seja nada fácil revivê-las mesmo que em pensamento.

Com sonhos a tiracolo e com pés levemente encostados no chão, não há mágica: as coisas acontecem. Palavras viram livros, rabiscos viram canções, nossos desejos saem do papel e criam vida. Simples idéias se transformam naquilo que a gente sempre quis.

E aí são os melhores momentos da nossa vida acontecendo. Tudo passa a valer a pena, apesar dos tropeços no caminho.

Vocês devem estar se perguntando por que eu entrei nesse assunto né? Porque eu sou uma das pessoas mais sonhadoras que eu conheço. Talvez eu devesse virar escritora, vai saber…

Sonhos são como trampulins, ou molas, que nos impulsionam, que nos fazem levantar da cama todos os dias e vestir nossos melhores sorrisos. Sonhos são a minha inspiração, minha força, minha fé e meu norte.

Na minha humilde opinião quem não sonha nunca se sentirá vivo de verdade.

Mas, como tudo tem dois lados, é bom ficar de olhos bem abertos. Ou melhor: Finque seus dois pezinhos de leve no chão. Quem se alimenta apenas de ilusao acaba por perder a realidade da vida e viver em um mundo paralelo que nunca condiz com a realidade. Pessoas assim são eternamente insatisfeitas com aquilo que são, com aquilo que tem, e com o universo que as cerca.

É, não é nada fácil conseguir ir ás estrelas, viajar e saber a hora certa de voltar.

Eu, sou uma canceriana nata. Daquelas que sonha com coisas que definitivamente poucas pessoas entendem. Tenho 25 anos, e apesar do senso de liberdade aguçadíssimo, minha solidão só tem graça quando muitíssimo bem acompanhada.

Uma vez me disseram que a minha mania de ver sempre o lado positivo das coisas e das pessoas acaba contagiando que convive comigo. Pois bem, tomara que eu consiga tornar as pessoas um pouco mais confiantes naquilo que realmente são.

Voltando ao sonhos, acho que somente eu sou capaz de entender o que se passa na minha cabeça. E a grande burrice é esperar que as pessoas notem meu esforço, reconheçam meu amor, entendam minhas fraquezas e defeitos. Como há muito tempo eu aprendi a conviver com a minha própria solidão, já não me machuca mais quando percebo que definitivamente não consegui transparecer quem realmente eu sou como ser humano. Tomo como experiência de vida, e toco o barco.

Talvez existam mais mulheres assim, que preferem ainda acreditar nas famílias grandes dos almoços de domingo, no amor expresso por uma bala e não por um anel, mulheres que conseguem se tornar independentes mas ainda possuem uma educação e sonhos á moda antiga. Que querem ter os pés no chão, mas gostariam muito de tirar os pés de alguém de lá. Que gostariam de tocar as vidas, mudar os rumos, apontar caminhos, dar o colo mesmo sem receber nada em troca. Mulheres que acreditam em relacionamentos pautados pela preservação da individualidade de cada um, mulheres que têm fé, mulheres que tem sonhos.

Meus pés estão fincados ao chão, mas a minha cabeça jamais vai deixar de percorrer todos os destinos que traça, todos os sonhos que almeja.

Quem tiver sorte, que me acompanhe. Quem tiver medo de não estar indo na direção correta e resolver pisar mais devagar, infelizmente não conseguirei acompanhar o ritmo por muito tempo.

E por falar em sonhos, vamos falar de você. Tu que estais sempre presente nos meus. Tu que te encaixas perfeitamente nos meus moldes. Tu que sonhas, apesar de se mostrar mais cético. Tu que desejas, almejas, oras, torces… Tu que tocasses a minha vida de uma forma um pouco diferente do que qualquer outra pessoa já o fez. Eu vim pra te apontar a direção, eu vim pra te ajudar a aguentar os dias em que desejares desistir, eu vim pra te mostrar que há coisas tão mais lindas esperando por ti nessa vida, eu vim pra te trazer felicidade, e pra te ver realizar os teus sonhos…não deixe os pés tão firmes no chao!

Um comentário:

Long Haired Lady disse...

eu sou uma canceriana com ascedente em cancer...então sonhar é comigo mesmo, mas sempre mantive os pés no chão, um dia eu os deixei flutuar, disse a palavra mágica...

bjo!