quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Verdades lá de dentro...

Desconfie de gente que só te quer quando você está bem. Desconfie e muito de gente que não sabe quando você precisa de colo, sem que você precise pedir.
Eu devia ser psicóloga. Tá não teria o menor dom, porque por mais terrível que seja pensar nisso eu daria risada dos meus pacientes quando não pudesse. Eu tenho essa mania louca. Mais voltando ao assunto, eu atraio gente que quer ajuda, conselhos, colo, todos os dias. Algumas com a maior boa vontade, porque sabem o significado da palavra reciprocidade. Aquelas que você perde seu tempo ajudando, ouvindo, porque sabe que perderiam o tempo delas com você.
Agora, e aquelas que só despejam seus problemas em cima da gente? Muitas vezes nos dias em que você está com problemas um zilhão de vezes maiores do que os dela, e não ouve nem um - tudo bem?
Bah eu atraio demais essas coisas. Quando eu conto, tem gente tipo meu namorado, minha irmã, que dá muita risada disso, mas as pessoas sentam do meu lado no ônibus, e quando eu chego ao centro da cidade, já sei de todos os problemas delas.
Dia desses tive que ir escutando um senhor falando dos resultados dos exames de laboratório dele. Acreditem!
O fato é que 90% das pessoas tem a idéia errônea de que eu estou sempre 100%.
Se eu for contar tudo que eu já passei na vida com tão pouca idade, vou deixar todos vocês de cabelos em pé. De fome á ter pego dengue sete vezes longe de casa do outro lado do país e sem uma alma viva pra me cuidar.
Já fui impedida de entrar em almoço de domingo em casa de sogra, e tudo isso porque eu falo demais. Não sei fingir, se gosto de algo ou alguém, eu gosto! Mas se não gosto, não espere tanta impolgação.
Enfim, tudo isso pra dizer que eu sou de carne e osso. Sofro, sinto, e muitas vezes desejo que algumas pessoas entendam isso. Tenho TPM, acordo parecendo o bozo, sou descoordenada pra cacete, canso de chutar quinas de mesa com o dedinho coitado. Tenho problemas de relacionamento com a família. Minha casa é o próprio afeganistão. Uma semana de paz, e duas de bombardeio.
Mas vocês passarão por mim na rua, e vão me ver sorrindo, dando bom dia pra alguém, topando de primeira tomar um chopp ou ir ao cinema, viajar, meu grupo de amigos não se reuniria em 10% dos finais de semana que se reúne se não fosse a minha empolgação e boa vontade de combinar as coisas.
E aí, neguinho acha que eu não tenho problemas. Que eu vivo em um mundo cor de rosa. Fodam-se, se eu vivo sorrindo, de bem com a vida (tirando as tpm's e crises de ciúme do namorado) é porque eu escolhi viver assim. Eu escolhi não me punir por ter preguiça feito todo mundo, por não ser perfeita, por errar, por ser gulosa, por enxergar sempre o lado bom das pessoas (inclusive as que não merecem), por achar que tudo tem concerto, e por querer ser sempre mais feliz. Eu, escolhi isso. Eu escolhi ser permissiva. Eu escolhi ser positiva. Eu escolhi viver em uma bolha. Eu escolhi amar. Eu escolhi ter vontade, espaço, compreensão, pra todos os que me cercam.
Agora não me venham com julgamentos idiotas de que eu sou mimada e tenho tudo. Nem tudo o que parece, realmente é.
Eu descobri que a graça da vida não está no felizes para sempre. E isso tem me feito dar passos curtos mais certos em direção a tudo que qualquer um almeja. Eu quero a trsiteza, os erros, pois são eles que tornam a alegria seguinte tão gloriosa. São eles que nos fazem dar valor as pequenas coisas boas, as felicidades instantaneas ou aquelas que duram muito. é a briga com o namorado que nos faz feliz quando percebemos que a sintonia melhora e que o amor prevalece. É a nota baixa que nos faz ver nossa capacidade de ir atras das coisas quando lutamos por uma nota melhor na prova seguinte. É briga com os pais que nos faz ver que sim, eles sempre tentam acertar, e estão sempre ali por nós.
Eu dei voltas, voltas e voltas, porque muitas vezes me entristece o egoísmo das pessoas comigo. E as que eu posso contar mesmo, que sabem de mim, sem eu precisar acenar pelo colo, são pouquíssimas. E tudo isso pelo egoísmo da maioria, e pela visão errônea de força que muita gente tem de mim. Mas eu sou humana. Meto os pés pelas mãos, e sou feliz ainda assim.
To com TPM, com a cabeça cheia de coisas, com trilhões de coisas acontecendo na minha vida, trabalho novo, projetos, OAB, e ainda assim perco tempo consolando, procurando empregos pela internet pra alguns, tentando encontrar apartamento pra outros, tentando animar, enfim.
Hoje é aquele típico dia em que nada há de ruim acontencendo, mas que eu só queria ser vista como eu realmente sou.
E queria que todos fossem menos egoístas...como poucos realmente são!

2 comentários:

Renato Orlandi disse...

É mesmo. Eu atraio muito disso tambem, tinha uma amiga que saia correndo quase literalmente qdo era a minha vez de falar. Dá um alivio nao falar mais com ela, boa gente, mas eu era auto-consolador, e assim nao dá. Super concordo, desabfa mesmo rs. TPM é osso! Bjjj!

Alicinha disse...

Esses dias eu queria um ombro amigo pra desabafar e percebi q a pessoa q mais vem desabafar cmg, não tem paciência pra me ouvir, ela já engata logo no assunto dela e pronto! Isso mata né! Poxa, tbm sou de carne e osso!