sábado, 7 de agosto de 2010

Deus?

Hoje de manhã, fui levar meus donativos no Gapa pra ajudar as crianças que adquiriram AIDS na gestação de suas mães, e que foram abandonadas. Nem precisa dizer que saí de lá em prantos e assim permaneci por ininterruptos trinta minutos. Tristeza e esperança. Uma mistura de tristeza com a pobreza do mundo e de esperança por ver que existem pessoas boas. Não consegui ficar lá por muito tempo. Senhoras de idade avançada chegavam com seus maridos levando comida. Varias pessoas chegando e saindo, cada um ajudando como podia. A maioria senhores de idade, classe média. Em seguida, fui almoçar no self-service onde almoço quase todos os sábados. Eu fui uma das últimas a entrar no restaurante que estava encerrando o horário de almoço. Do lado de fora, pude ver dois homens adultos e uma criança de uns oito anos de idade. Todos com vasilhas de plástico nas mãos, esperando o horário do restaurante fechar pra ganhar a comida do dia. Cenas como essa me cortam o coração.É muito fácil acreditar em Deus quando você dorme numa cama queen, anda de carro com ar-condicionado que você conseguiu comprar sozinha com vinte anos e mora num prédio com lavanderia cujo condomínio é maior que o salário de uma família inteira. É muito fácil rezar e agradecer a Deus por tudo que você tem quando você tem tudo que quer. Agora, tente explicar o que é Deus pra alguém que não tem o que comer. Pra quem nasceu comj uma doença porque seus pais não tiveram o mínimo de consciência, e para não arcar com isso, as abandonaram ao léu. Tente explicar como Deus é bom pro menino que nasceu na favela e viu a mãe morrer com um tiro na cabeça. Será que Deus gosta mais de mim do que das pessoas cujas casas foram levadas pela força das águas, por exemplo?? Será que Deus gosta menos daquele pai com a criança na porta do self-service segurando uma vasilha sem comida e esperando sua vez de comer? Será que Deus gosta mais dos filhos da Angelina Jolie do que dos filhos da mulher que dorme embaixo da marquise do meu prédio?Hoje de manhã, olhando praquela miséria toda, aquele amontoado de coisas e trapos jogados na sede do Gapa (colchões velhos, cobertores sujos, roupas usadas) que vão servir pra muita gente que não tem sequer um teto agora, cheguei a falar em voz baixa: Deus, cadê você? E então percebi que o inferno é aqui mesmo, na Terra. E enquanto milhares de boas almas se mobilizam para ajudar como podem, as pessoas agradecem a Deus a ajuda recebida. Chamamos de Deus as bênçãos que recebemos.Talvez Deus exista sim, mas não é o cara que fica escutando nossas orações repetidas em terços, novenas de 900 dias e que comparece à missa todo domingo pra ouvir nossos pedidos. Mais importante que rezar, ir à missa ou subir a escada da catedral do escambau de joelhos é sermos humanos. Tem muita gente que faz promessa pra arrumar namorado e em troca, fica um ano sem comer chocolate. O que ficar um ano sem chocolate vai ajudar o mundo? Isso é pra Deus ou pra cintura de quem fez a promessa? Enquanto cada um estiver voltado pro próprio umbigo, não há Deus que dê conta do mundo. Quando cada um fizer sua parte, ajudar como pode, pensar mais no outro, se doar mais, vamos olhar pro lado todo dia e saber exatamente onde Deus está. Em cada um de nós.

4 comentários:

Renato Orlandi disse...

Amei esse desabafo, tenho amigas que fazem esse tipo de promessa, acho um absurdo também, já vi muitas pessoas se desfazendo de suas vidas para pagar tratamentos ou simplesmente mais um dia de internação em hospital, porque é caro (uns 5000 reais por dia UTI básica) enquanto outros reclamam e reclamam por um arranhão, um quilo a mais ou um resfriado... Concrodo contigo que o inferno é bem aqui, assim como a possibilidade que cada um trás de mostrar a luz do céu, de fazer algo... Lindo mesmo! Já trabalhei muito como voluntário e posso te dizer que as vezes desacredito em ver algumas coisas, como as que acontecem a essas crianças e muitas outras abandonadas a própria sorte por serem doentes... bjo

Mih disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mih disse...

essas horas eu penso "pq mesmo eu tenho depressão?"
enquanto isso tem gente com problemas bem maiores e que estão de cabeça erguida correndo atrás do melhor.
demais... diante desse texto nem tenho mais nada a dizer.

Angélica Medeiros disse...

É verdade Cáh. As pessoas só pensam em si mesmas.
;/