sábado, 20 de novembro de 2010

Na Dúvida, Não complique…

Queridos, trago novidades. Para ser feliz, não é preciso ter rios de dinheiro. Um amor de cinema. O corpo da Mulher samabaia. Um rosto de parar o trânsito. Pra ser feliz, não é preciso ter uma família perfeita de propaganda de margarina, e nem menos uma carreira impecávelmente brilhante. Tudo bem pra quem tiver tudo isso. Mas nada disso é GARANTIA de felicidade, certo?

Por isso, escrevam aí, em letras garrafais, sublinhem e releiam quantas vezes for necessário: FELICIDADE SÓ SEM ENCONTRA DENTRO DA GENTE.

Enloqueci de vez?? Não, acho que não. Hoje eu fui organizar os dados das crianças do projeto comunitários dos meus pais, e descobri gente que sorri (muito mais que a gente),gente de pé descalço, mas de alma mais leve e lavada que eu pude encontrar. Sério gente, há muito tempo não via tanta alegria e simplicidade juntas.

Quando a gente vivencia coisas assim, volta pra casa e se pergunta, ENTÃO É ISSO? Vejam bem, não estou dizendo pra ninguém largar o emprego, parar de malhar e só comer besteira, estou falando de EQUILÍBRIO.

E a receita é só uma: fazer as pazes com aquilo que você é, se aceitar. Pare um pouco, diminua as expectativas e entenda que felicidade não é TER, é SER.

Papo de riponga, de maluca? É, até pode ser. Papo de gente simples (deliciosamente simples). O saber de quem nunca estudou (feito a minha mãe), mas que tem uma sabedoria de deixar muita gente metida a besta de cabelo em pé.

Depois de conversar com esse tipo de gente, fica impossível não questionar a falta de tato, de simplicidade, de educação, com as quais convivemos todos os dias. Quando colocamos os pés em lugares assim, a gente põe a mão na consciencia e pensa: Que vida é essa que eu estou levando? E as dúvidas e insatisfações nos fazem questionar tudo que está em jogo. E digamos de passagem que as conclusoes sao muitas. E quer saber? Não são fáceis.

A gente vive em um mundo onde a mídia influencia muito, onde padrões e esteriótipos de felicidade acabam assumindo os lugares dos sonhos da maioria das pessoas. Mas aí eu pergunto: Do que adianta ter uma conta recheada de dinheiro se o teu emprego não te deixa dormir? Do que adianta ter um corpo de parar o trânsito se não poder cair de boca em uma batata frita com choppinho depois de uma semana difícil? Do que adianta ter um namoro se isso te traz mais preocupações e desgastes do que alegria?

É pessoal, a felicidade tem muito mais a ver com paz do que a gente pensa. E a paz é uma sensação automáticamente atrelada a simplicidade, embora muitos não percebam.

Quer tirar a prova? Experimente…

Experimente comer comida de mãe, e me diga se não é um prazer infinitamente maior do que comer em um restaurante caríssimo?

Experimente vestir aquela roupa velha pra ficar em casa jogado no sofá e me diga se não é uma sensação absurdamente mais gostosa do que vestir uma calça de marca para ir ao shopping?

Experimente aceitar seu parceiro ou parceira com as qualidades e acima de tudo com os defeitos que tem, e me diga novamente se não terá uma convivencia incrivelmente mais gostosa do que a que teria tentando mudá-lo?

Enfim, sei que ás vezes não consigo me encaixar em padrão algum porque pareço meio velha pra algumas coisas, meio imatura pras outras, meio verborrágica, exagerada, fantasiosa, boazinha demais…mas sei também que isso eu aprendi em casa e carregarei sempre comigo, SIMPLICIDADE NÃO TEM PREÇO. CARÁTER vale mais do que DINHEIRO. REALIZAÇÃO pessoal vale mais do que DINHEIRO. AMOR vale mais do que LUXO.  AMIZADE  vale mais do que CONVENIENCIA. TRANSPARENCIA vale mais do que FALSIDADE.

 

Tenho uma amiga da época do colégio, que ás vezes me diz: hoje eu sai e sentei não sei aonde tomei uma coca cola e ri um bocado, bem programa de pobre. No final das contas a gente sempre conversa e chega a conclusão que são os melhores programas. Farofagem na praia. Café com bolo com as amigas.Chopp no boteco da esquina. Andar de havaiana arrastando pela rua. Comer cocada..

Um brinde á vida que vale a pena, um brinde as coisas que não tem preço…na duvida? Descomplique!

Um comentário:

Renato Orlandi disse...

É papo de gente louca.

Mas eu queria ter lido antes!!!

:(

bjaooo!

te adoro rs!