quarta-feira, 28 de julho de 2010

Saudades...

Os acontecimentos da minha vida nunca foram simples. Eu bem disse que queria ser Peter Pan.
Fazem quase seis meses que eu tenho certeza que o destino começou a me montar uma baita arapuca. E me pegou.
E sabes que eu me sinto absurdamente confortável nesses novos moldes??
Mudança de emprego, término de relacionamento, reaproximação de velhas amizades, novas amizades, novos rumos, velhos sonhos, novos sonhos...
Hoje eu me peguei pensando nessas mudanças repentinas, no fato de que talvez eu tenha desejado cada uma delas, mesmo que inconscientemente. Hoje eu me peguei rindo sozinha (tá tá isso é bem comum). Hoje eu me dei conta que, mesmo dando vez ao cansaço, não há qualquer motivo pra nao estar feliz.
Hoje eu me permiti não negar a atual realidade que todas essas mudanças proporcionaram, por mais que algumas delas tenham sido difíceis.
Hoje eu me peguei me permitindo sentir saudades de te ver, mesmo que de longe. Hoje eu senti saudades até dos momentos que ainda nem tive. Hoje eu senti saudades de me sentir perdida diante de tantas certezas desconexas, de tantas sensações e vontades. Hoje eu me dei conta do quão reais são as minhas certezas. Hoje eu queimei a língua por perceber que eu não engano nem a mim mesma quando digo que sei viver com os pézinhos no chão.
Hoje tem uma frase martelando na minha cabeça que eu li em algum lugar:
"Nunca ignore seu sexto sentido. Lá na frente - ainda que demore anos - você vai ver que ele estava certo."
E graças a Deus eu jamais ignoro o que ele me diz. E ainda bem que eu não ignoro aquilo que eu sinto. E agradeças tu também por eu agir assim.
Todas essas mudanças resultaram nisso que temos hoje. Nisso que estamos começando de alguma forma hoje.
A gente percebe a diferença na nossa história em relação a tudo que existe. A gente constroe juntos essa nossa estrutura de base forte. É respeito, é amizade, são ouvidos, confiança e antes de tudo esse carinho mútuo. Eu poderia ter deixado de acreditar. O mundo talvez tivesse tentado me fazer desistir das pessoas. E então "eu" te encontro, me epaixono, crio metas e sorrio a cada segundo em que lembro-me que te tenho na minha vida "de alguma forma". Tu que chegastes pra me trazer uma serenidade que eu não tenho, me trazer novas expectativas, e me trazer a certeza de que ainda existem pessoas maravilhosas por aí.
É o resultado de um coração agora completo e sossegado.
Certa vez eu duvidei de relacionamentos assim. Onde se agradece pelo encontro, e se aproveita cada momento junto, por não saber o que serão dos momentos seguintes, mas isso é secundário na escala de importância.
Melhor eu fechar minha boca da próxima vez. Fechar olhos, boca e te beijar para sentir mais uma vez o mesmo arrepio sentido da primeira vez. A tendência é essa! Permanece a magia e alcançamos a maturidade. Eu e tu, sendo os únicos a saberem bem tudo o que se passa aqui.

Saudades demais já...

2 comentários:

Renato Orlandi disse...

Eu prefiro ficar na saudade para poder assim me lembrar apenas dos bons momentos do que vive ruma vida me enganando que aquilo é bom para mim... Apoio mudanças, sei como são difíceis e como só valorizamos depois de estar na zona de conforto, parabéns, é muito corajosa! Bjao!!!

Clítia Milagres disse...

Olá...
tem selinho pra vc no blog Felicidade!

um ótimo final de semana

bjs