quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

A favor de gente de verdade…

 

DSCF1565-2

 

 

“Meu coração tem asas..minha razão anda a pé …”

 

 

Cada dia mais, percebo a quantidade mínima de pessoas que posso considerar  como minhas amigas de verdade. Todo mundo só me prova a teoria de que sempre buscam algum retorno, sempre tem algum interesse oculto nas relações. E desanima, e dá vontade de mandar meio mundo á casa da Mãe Joana. E dói deixar pra trás e entender que pessoas que um dia quizemos bem, não nos queriam tão bem assim.

Eu não quero ninguém que não valha a pena levar pra vida ao meu lado. Não quero ninguém que não tenha valores, que não tenha caráter, que não tenha a capacidade de perceber a dor do outro, tudo que o paralisa, seus medos, suas dificuldades, e ajudá-lo. Por outro lado, incentive seus sonhos, suas conquistas, e fique realmente feliz pela felicidade alheia,.

Eu quero mais verdade, e menos suposições.

Eu quero mais coragem e menos medo.

Mas sou atrevida por natureza e adepta da frase de Nietzsche: "Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeiramente companhia". Ai, Nietzsche você sempre soube! É isso mesmo. Eu odeio e assino embaixo. E odeio com todas as forças, com todas as letras, em capslock, de trás para frente, em inglês ou latim. EU ODEIO. Sou uma ótima companhia para mim mesmo, adoro ficar sozinha, lendo, escrevendo ou fazendo o meu nada.

 

Prefiro me afundar em mim a ter que ouvir gente falando merda ou contando vantagem…

3 comentários:

Renato Orlandi disse...

Assino embaixo também, não suporto "perder tempo" com as pessoas que não acrescentam........ exatamente amiga, pega sua bolsa e sai de perto dessa gente! ^^ bjaooo!

Duanny!. disse...

eu também prefiro ficar sozinha as vezes. é bom, me distancia de certos tipos de pessoa.
;D

Leandro disse...

Na época da escola, parei um jogo de "Stop" ou "ABC" para a maior de todas lições do meu professor de química, no 3º do colegial: seus amigos da vida estão aqui dentro dessa sala. Eles não vão tá na sua sala da faculdade ou do trabalho.
Não sei se foi maldição, mas os meus irmãos (sou filho único) são todos meus amigos dos tempos de colégio.