sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Comovida...

Eu definitivamente queria saber porque as coisas me comovem tanto. Inclusive aquelas que não deveriam sequer me causar alguma boa sensação.
Ontem assisti uma pessoa que ficou 3 meses presa ser solta, e assisti com a certeza de que estava presa injustamente. Ver alguém doente, chorando, por ter cumprido uma pena que não era sua, não foi fácil pra mim. Como fica o psicologico de alguem que foi punido sem sequer ter feito por merecer aquilo?
Agora minha indignação. Ao ser solto, este senhor pediu ao policial que havia conduzido-o da delegacia até o forum se poderia voltar com ele até lá pra buscar suas coisas. E o policial friamente disse: NÃO, estais solto agora, te vira! Aí, com gestos de súplica o mesmo senhor disse, pelo amor de Deus, eu não tenho dinheiro aqui nem pra tomar um ônibus! E o policial disse: PROBLEMA SEU!
Tá, depois o cara sai dali e assalta alguem por causa de 3 reais pra pegar um ônibus, as pessoas ainda o chamariam de marginal e o colocariam de volta na cadeia. Tirei dinheiro do bolso, fui até lá, dei pra um amigo dar pra ele, que ficou absolutamente agradecido, daqueles agradecimentos de causar comoção mesmo.
Vocês devem estar se perguntando porque eu estou contanto essa história né? Bom, porque eu não consegui entender porque o policial não se comoveu. Eu faço coisas que arrepiar os cabelos do diabo pra ajudar os outros. Quem me conhece sabe. Dou dinheiro que me faz falta depois, dou conselho, dou ombro, dou um pouco de mim sempre que me pedem.
E o que eu ganho com isso? As pessoas costumam dizer que eu sou boazinha demais, que ninguém reconhece as coisas que eu faço. Mas sabe do que mais? Eu nunca esperei qualquer reconhecimento alheio. Quando eu ajudo alguém, isso me faz muito bem. Tudo que eu sinto quando eu posso contribuir pra melhorar um dia, uma hora, um instante na vida de alguém, não tem dinheiro no mundo que pague.
E se não quizerem reconhecer? Foda-se! Eu faço por mim. Porque alguém também já me ajudou um dia. E esse alguém sabe que eu rezo á Deus todos os dias e agradeço á ele, destino, sorte, que me trouxe essa mão na hora exata.
Deixe-se comover. Ajude.
A grande maioria das pessoas não está nem aí pros problemas alheios, pras dificuldades, pra fome, pra desigualdades, pra injustiças...
Mas.... eu faço uma prece todos os dias ás exceções, porque sim, elas existem!

2 comentários:

Renato Fierce disse...

Nossa, vc tocou num assunto agora, a ferida da minha profissão de certa forma rs, porque aprendemos que não devemos nos comover, para não atrapalhar nosso trabalho, mas como lidar com a dor, com o sofrimento sem se importar com aquilo... eu não consigo tamanha frieza, jah chorei milhooooes de vezes na frente do paciente (juntos rs) e tudo, e não me considero pior profissional por isso!!!! Te presentiei, dá uma passadinha no meu Blog! BJAO!

Leandro disse...

É por isso que ainda tenho esperança no mundo. Existem pessoas como você para tentar aliviar a barra que é viver nessa sociedade. Muito obrigado!
Beijão